Where To Buy Contact Options
ícone de telefone
Se você tem dúvidas, ligue para nós.
1-800-338-3287
Talk to an Expert
mobile menu icon mobile menu close icon

Estarão os seus trabalhadores, sem saber, superexpostos a gases perigosos – mesmo quando usam equipamento de proteção individual? 

Os profissionais de segurança levam muitos fatores em conta ao recomendar proteção respiratória para trabalhadores em ambientes que possam conter gases tóxicos. Um fator que também é esquecido, contudo, é a faixa de medição dos detectores que os trabalhadores usam para perigos de gases tóxicos.

Por que isso é importante?

O NIOSH recomenda diferentes níveis de equipamento de proteção individual (EPI) com base na exposição potencial em partes por milhão (ppm). 

Examinemos a amônia (NH3) como um exemplo comum, embora o mesmo princípio se aplique a todos os perigos de gases tóxicos.

Na região centro-oeste dos Estados Unidos, a produção de alimentos é um grande negócio. Junto com a produção de alimentos vêm as instalações frigoríficas que usam NH3 como refrigerante. Somente em Wisconsin e Michigan, as empresas usam aproximadamente 80 milhões de quilos de amônia para armazenamento refrigerado por ano – isso significa que centenas de milhares de trabalhadores podem ser expostos a ela. Com isso em mente, os trabalhadores usam detectores de gás e as diretrizes do NIOSH para determinar como se proteger adequadamente. 

Por exemplo:

  • se o potencial de exposição for de até 250 ppm de NH3, o NIOSH recomenda um respirador de meia máscara equipado com um cartucho que forneça proteção contra NH3, ou qualquer respirador com suprimento de ar.
  • Se o potencial de exposição for de até 300 ppm de NH3, o NIOSH recomenda um respirador com suprimento de ar com fluxo constante ou qualquer respirador purificador de ar alimentado com um cartucho que forneça proteção contra NH3, ou um respirador de cartucho para rosto inteiro ou qualquer máscara de cartucho para o rosto todo.
  • Se o potencial de exposição for superior a 300 ppm, o NIOSH recomenda um aparelho respiratório fechado seguro (SCBA) ou respirador com fornecimento de ar o para rosto inteiro

Para determinar com precisão a exposição, os seus detectores de gás precisam ser capazes de detectar níveis de acordo com as diretrizes do NIOSH para EPI. Neste exemplo, os detectores de gás precisam ser capazes de detectar NH3 em níveis superiores a 300 ppm. No entanto, muitos detectores de gás só conseguem medir NH3 de 0 a 100 ppm. Isso apresenta um problema. Sem um dispositivo que possa medir faixas superiores a 300 ppm (ou a recomendação do NIOSH para o seu gás tóxico específico), como os trabalhadores vão saber se o EPI deles está fornecendo proteção adequada?

Para evitar esse problema, é importante conhecer a faixa de medição do detector de gás – especialmente se o ambiente puder conter amônia (NH3), sulfeto de hidrogênio (H2S), dióxido de enxofre (SO2) ou monóxido de carbono (CO).

Nesse caso, um detector de gás com uma faixa de medição acima de 300 ppm pode ajudar os trabalhadores a determinar se precisam mudar para um SCBA enquanto trabalham em um dado ambiente. Se os seus detectores de gás não puderem detectar até 300 ppm de NH3, os trabalhadores precisam usar um SCBA sempre que houver uma chance de que os níveis excedam o limite de exposição permitido de 50 ppm de NH3.

Além de oferecer leituras críticas de segurança, geralmente os dispositivos com uma faixa de detecção mais alta têm uma vida útil mais longa e podem economizar dinheiro em substituição de sensores. Monitores como o Ventis Pro5 geralmente têm faixas de medição mais altas, tornando-os menos suscetíveis a danos por excesso de faixa e reduzindo a necessidade de substituição de sensores.

Faça um favor a si mesmo agora e compare as faixas de medição dos seus monitores de gás com os requisitos de EPI para todos os perigos de gases tóxicos. Se os intervalos não se alinharem com os seus requisitos de EPI, você precisa considerar se os monitores estão fornecendo os recursos de detecção de que os seus trabalhadores precisam para trabalhar em segurança.