Monitoramento de cinco gases: detecção avançada para atividades perigosas

Monitoramento de cinco gases: detecção avançada para atividades perigosas

Jackie Cappucci | sexta-feira, 26 de junho de 2020

Perigos do gás. Quase todo setor de atividades os tem. Você está monitorando os que podem vir a interromper as suas operações?

A qualquer momento, os seus funcionários podem encontrar perigos de gás que podem pô-los em risco e pôr em risco os seus projetos ou negócios. Infelizmente, muitos desses perigos de gás não podem ser vistos e não têm cheiro - e, quando podem ser vistos ou cheirados, pode ser tarde demais. É por isso que você precisa de detectores de gás. Os detectores de gás pessoais monitoram continuamente a composição do ar na sua zona de respiração para fornecer a percepção de que você precisa para se proteger e tomar decisões inteligentes.

Embora não exista um monitor de gás “bala de prata” que detecte todas as combinações possíveis de perigos de gás, um monitor multigases é um bom ponto de partida. Usar um monitor de cinco gases como o Ventis® Pro5 configurado corretamente permite elevar o nível de detecção, oferecendo uma melhor percepção dos riscos de gás ao seu redor.

Os gases perigosos que é preciso monitorar variam de acordo com o setor de atividade; portanto, a combinação de sensores escolhidos para uma aplicação pode não fornecer a mesma cobertura de detecção em outra. Para ter uma detecção mais precisa, personalize os seus sensores para monitorar os gases com maior probabilidade de serem encontrados na sua aplicação ou os que possam representar o maior perigo caso estejam presentes.

Examine as informações abaixo para determinar quais gases monitorar no seu ramo.

Celulose e papel, Tratamento de água, Estaleiro

Os principais gases motivo de preocupação são metano (CH4), sulfeto de hidrogênio (H2S) e falta de oxigênio. O sulfeto de hidrogênio e o metano são liberados quando materiais orgânicos se decompõem, e o seu acúmulo pode levar à falta de oxigênio e explodir quando em contato com uma fonte de ignição.

Podem estar presentes perigos de gás adicionais numerosos demais para citar. Além desses três grandes perigos de gás estão os que existem na purificação de produtos químicos como amônia (NH3, cloro (Cl2) ou dióxido de cloro (ClO2), usados para descontaminar águas servidas ou efluentes. Além disso, resíduos da base industrial da comunidade podem conter qualquer número de gases tóxicos ou explosivos.

Refino químico

Os processos de refino químico costumam utilizar materiais perigosos com pontos de inflamação muito baixos, baixos LELs (limites explosivos inferiores) e uma ampla gama de inflamáveis/explosivos. LEL é a menor concentração de um gás ou vapor no ar que se inflama quando exposto a uma fonte de ignição. Em muitos gases inflamáveis, o LEL é inferior a 5% em volume; portanto, há um risco alto mesmo quando concentrações relativamente pequenas do gás escapam para a atmosfera.

Gases tóxicos usados no refino químico, como amônia (NH3) e cloro (Cl2), normalmente precisam ser detectados em níveis de volume abaixo de 100 ppm (0,01%) para proteger o pessoal e, portanto, são detectados usando diferentes tipos de sensores. A amônia, um gás incolor com um odor pungente, é um produto químico amplamente usado que costuma ser encontrado em diversos ambientes industriais. Quando combinado com algumas substâncias, como o cloro, reage explosivamente.

Alimentos e bebidas

Talvez o gás mais comum na indústria de alimentos e bebidas seja o dióxido de carbono (CO2). O dióxido de carbono é frequentemente usado para fornecer carbonatação às bebidas e manter artigos resfriados na forma de gelo seco, e é produzido por agentes fermentadores como as leveduras. Como o dióxido de carbono é mais pesado do que o ar, pode causar asfixia quando presente em altas concentrações e, portanto, é mais bem monitorado em combinação com o oxigênio.

As empresas de alimentos e bebidas usam muitas toneladas de amônia (NH3) para refrigeração, congelamento rápido e armazenamento a granel, correndo o risco de liberar gases.

Materiais perigosos

Em muitos casos, quando os socorristas chegam a uma cena, não sabem se estão entrando em uma área com substâncias químicas nocivas ou mortais. Os monitores de cinco gases permitem que os socorristas monitorem continuamente a cena por vários perigos de gás diferentes. Os socorristas de materiais perigosos podem encontrar vazamentos de dióxido de carbono (CO2), gás cloro (Cl2), sulfeto de hidrogênio (HS2), dióxido de enxofre (SO2), e qualquer número de substâncias potencialmente explosivas, dependendo da chamada.

Se você trabalha em um setor que pode se beneficiar de monitoramento de cinco gases, não se arrisque a trabalhar sem um detector de gás. Examine a nossa tabela de perigos de gás e configuração de sensores ou converse com um dos nossos especialistas para encontrar a configuração de sensores correta para sua aplicação.